CITRULINA PERFORMANCE DESPORTIVA

Este aminoácido não componente de proteínas, existindo sempre no estado livre, possui um efeito redutor da fadiga muscular, na medida em que contribui para a produção de fosfo-creatina e trifosfato de adenosina.

Sabe-se que a L-Citrulina é um precursor orgânico de L- Arginina e que este último aminoácido contribui para o aumento dos níveis de óxido de Azoto[1] (Óxido nítrico) que por sua vez contribui para um melhor aporte sanguíneo aos músculos, com concomitante aporte de nutrimentos, catalisadores, hormonas, e outras substâncias fundamentais aos processos de anabolismo muscular.

Todavia investigação recente, comprova que a L-Citrulina atua diretamente nestes processos bioquímicos e fisiológicos, sem necessidade da conversão em L-Arginina. A forma complexada com ácido málico, originando o malato de Citrulina, é a mais utilizada.

Estudos levados a cabo em murganhos (ratos de laboratório), Na universidade Paris Descartes, concluíram que este aminoácido contribui para a redução da gordura depositada ao nível abdominal. A L- Citrulina incrementa a atividade da gordura de tipo castanho, que se sabe produzir um estímulo do consumo calórico e aumentar o catabolismo lipídico, em vez de dar origem a depósitos nos adipócitos da zona abdominal.

As dosagens utilizadas estão compreendidas entre 1 e 3 gramas, de preferência meia a uma hora antes do exercício físico.

 


Autor > Eduardo Ribeiro, CEO Departamento cientifico | Controle de Qualidade| Investigação e Desenvolvimento– BIOGAL, Biologia de Portugal Lda.

[1]Substância fundamental nos mecanismos da ereção peniana.